Resultado do 16º Concurso Brasileiro de Haicai Infanto Juvenil 2017 Tema: A Caminho da Escola

agosto 5th, 2017

16º Concurso Brasileiro de Haicai Infanto Juvenil 2017

Tema: A caminho da escola

 

Resultado do 16º Concurso Brasileiro de Haicai Infanto Juvenil 2017

Tema: A Caminho da Escola

 

RESUMO — PARTICIPAÇÕES POR CIDADE / MUNICÍPIO/ ESTADO

 

Cidade/ Município/Estado

Escolas

Professores

Alunos

01. Arapongas, PR

01

01

  16

02. Bandeirantes, PR

01

01

  25

03. Cornélio Procópio, PR

01

03

  71

04. Curiúva, PR

01

01

  38

05. Fernandes Pinheiro, PR

01

02

  61

06. Irati, PR

10

22

   583

07. Magé, RJ

02

03

   49

08. Mallet, PR

04

10

   240

09. Mariluz, PR

01

01

   24

10.Mauá, SP

01

05

   207

11.Mogi das Cruzes, SP

01

01

   117

12. Porto Alegre

01

01

   43

13. Prudentópolis, PR

03

04

   73

14. Rebouças, PR

02

02

   92

15. Rio Azul, PR

02

02

   73

16. São José dos Pinhais, PR

01

01

    139

17. São Paulo, SP

03

05

    142

18. São Vicente, SP

01

01

   20

                                          Totais              

       37

       66

 2013


 

 

 

CLASSIFICAÇÃO — CATEGORIA JUVENIL I (alunos de 11 a 14 anos)

 

 

Escola / Cidade / Estado

Aluno / Professor

Haicai

 

Colégio Estadual de Faxinal dos Marmeleiros

Rebouças – PR

Taís Dambrowski Wierczorkowski - 13 anos

Profa. Carla Micheli Carraro

A caminho da escola

Céu de algodão doce

Saboreio com os olhos.

 

Colégio Santo Agostinho

São Paulo – SP

Gabriela Albuquerque Ueno - 13 anos

Profa. Regina Célia Ruiz

Gelado o caminho

Seguro a mão do meu pai

Esquento a minha.

 

Colégio Estadual Shirley C. T. Machado

São José dos Pinhais – PR

Jennifer Quilante Brosonski – 14 anos

Prof. Emerson Corso

O sol, logo cedo

A caminho da escola

A sombra me segue.

 

Grupo Teclas e Flautas em Harmonia

São Vicente – SP

Gabriel Shouwa Yamauchi – 12 anos

Profa. Mitsuca Miyashita

Descubro o nome

Do espetáculo na calçada

Ipê-de-jardim.

 

EMEF Prof. José Bento de Assis

São Paulo – SP

Alana Letícia Vieira – 12 anos    8D

Prof. João Toloi

A caminho da escola

As nuvens me acompanham

Carregadas de ovelhas.

 

Colégio Estadual Trajano Grácia

Irati – PR

Marcielly Taisa de Lima - 11 anos

Profa. Salete Franczak

Borboleta de outono

A caminho da escola

Apenas uma!

 

EMEF Prof. José Bento de Assis

São Paulo – SP

Gabrielle Rodrigues Souza – 13 anos  8C

Prof. João Toloi

A caminho da escola

Vejo o ipê florido

Saudades de quem se foi.

 

Colégio Estadual Shirley C. T. Machado

São José dos Pinhais – PR

Gabriela Amador Torneiro Pacheco Marcondes – 13 anos

Prof. Emerson Corso

O cão me acompanha

No caminho da escola

Solidão desaparece.

 

Escola Estadual Profa. Iracema Crem

Mauá – SP

Gleydson Albano Pontes – 13 anos

Profa. Kioko Hara Tamai

Folhas mortas no chão

Sobre elas vou caminhando

Silêncio no ar.

 

10º

Colégio Estadual de Faxinal dos Marmeleiros

Rebouças – PR

Kayke Algusto dos Santos Buaski – 13 anos

Profa. Carla Micheli Carraro

Papai analfabeto

Aconselha o filho a estudar

A caminho da escola.

 

11º

Colégio Estadual Duque de Caxias

Irati – PR

Ketlen Cristine Bueno – 12 anos

Profa. Maria do Carmo Anciutti Trancoso da Motta

Manhã de outono

A caminho da escola

Cochilo no ônibus.

 

12º

Colégio Estadual do Campo Adão Sobocinski

Mallet – PR

Diana Maria Marczak – 14 anos

Profa. Dirce Maria Föetsch

Volto da escola

A lua cheia brilha

entre as árvores.

 

13º

Escola Estadual Nicolau Copérnico

Mallet – PR

Camila de Fátima Oliveira Uniat – 12 anos

Profa. Renilda Severo Lazoski

Passou a chuva

A caminho da escola

Cheiro de terra.

 

14º

Colégio Estadual do Campo Nossa Senhora de Fátima

Irati – PR

Ana Paula Slompo – 11 anos

Profa. Idana Cristina Menon

No caminho da escola

Tem animais berrando.

Ah! Que sono.

 

15º

Colégio Estadual Duque de Caxias

Irati – PR

Elisson Henrique Gonçalves -  11 anos

Profa. Maria do Carmo Anciutti Trancoso da Motta

Do alto das pedras

O chuá da cachoeira

Caminho da escola.

 

16º

Colégio Estadual Trajano Grácia

Irati – PR

Anna Flávia da Fonseca – 11 anos

Profa. Salete Franczak

Cri, cri do grilo

A caminho da escola

Gosto de escutar.

 

17º

EMEF Prof. José Bento de Assis

São Paulo – SP

Mohammed Yunis Rosário Santos –

13 anos       8 A

Prof. João Toloi

A caminho da escola

O ipê-amarelo florido

Meu pai que plantou!

 

18º

Escola Municipal “Professor Angelo Mazzarotto”

Cornélio Procópio - PR

Welington da Silva Dias – 11 anos

Profa. Maria Inês de Paulo Gaioto

Caminho da escola

Avisto de longe a montanha

No meio da neblina!

 

19º

Escola Municipal Rosalina Cordeiro de Araújo

Irati – PR

Jennifer Iuli Babes – 11 anos

Profa. Marli Teresinha Chasco

No frio de outono

A caminho da escola

Ponho a blusa, tiro a blusa.

 

20º

Escola Municipal São Valdomiro

Irati – PR

Karen Letícia de Souza – 11 anos

Profa. Rosa Regina Bonck Ribeiro de Lima

A caminho da escola

O canto da saracura

Na beira do rio.

 

 

 

MENÇÕES HONROSAS — CATEGORIA JUVENIL I (alunos em ordem alfabética)

 

 

Escola / Cidade / Estado

Aluno / Professor

Haicai

 

01

Colégio Estadual Duque de Caxias

Irati – PR

Bianca Gonçalves – 11 anos

Profa. Maria do Carmo Anciutti Trancoso da Motta

Bater das asas

A caminho da escola

Oba! A gralha azul.

 

02

Escola Estadual Nicolau Copérnico

Mallet – PR

Claudineia Eduarda Golenia – 11 anos

Profa. Cléia Aparecida Wengien

A caminho da escola

Ouço pássaros cantando

E vou contente.

 

03

Colégio Estadual Padre Pedro Baltzar

Irati – PR

Crislaine Karine Petroski – 12 anos

Profa. Lourdes Czekalski

Caminho da escola

Na imensidão do céu

Surge um arco-íris.

 

04

Colégio Santo Agostinho

São Paulo - SP

Daniel Kenzo Takaki – 13 anos

Profa. Regina Célia Ruiz

Os pássaros cantam

Em um dia nublado, calmo

Sem barulho algum.

 

05

Colégio Estadual Padre Pedro Baltzar

Irati – PR

Daniel Pasxczny – 13 anos

Profa. Lourdes Czekalski

Caminho da escola

Enfrentando uma geada

Mas muito feliz.

 

06

Escola Estadual do Campo Fernando Moreira – Dorizon

Mallet - PR

Jakeline Bialesri Solutchak – 11 anos

Profa. Cléia Aparecida Wengien

Muito ansiosa

A caminho da escola

Tem festa junina!

 

07

Colégio Estadual Jandira Ferreira Rosas

Curiúva – PR

Lorena de Freitas Dolada – 12 anos

Profa. Maria Rosa Assini

Dia de chuva

Não vejo movimento

Só poças d’água.

 

08

Colégio Estadual Imaculada Conceição

Prudentópolis – PR

Márcia Letícia Prusnal – 11 anos

Profa. Bernadete Papirniak

Rumo à escola

Muitas flores cheirosas

É primavera.

 

09

Escola Municipal “Professor Angelo Mazzarotto”

Cornélio Procópio – PR

Mateus Henrique Anastácio Paiva – 12 anos

Profa. Maria Inês de Paulo Gaioto

A caminho da escola

Borboletas azuis e amarelas

Brincam de pega-pega!

 

10

Escola Estadual Profa. Iracema Crem

Mauá – SP

Priscila Gonçalves Santos – 13 anos

Profa. Kioko Hara Tamai

Vento gelado

Pássaros não piam

Ao pôr do sol.

 

 

 

 

Comissão Julgadora

 

Débora Fernandes

Kazue Yamada Ferreira dos Santos

Mahelen Madureira

Teruko Oda

Projeto Bumba-meu-boi da Professora Deise F. Constant

agosto 5th, 2017

2ª parte do vídeo

 

3ª parte do vídeo

 

 

Pesquisa na wikipédia 05/08/2017

Bumba meu boi ou boi-bumbá[1] é uma dança do folclore popular brasileiro, com personagens humanos e animais fantásticos, que gira em torno de uma lenda sobre a morte e ressurreição de um boi. [1][2]

Em diversas cidades do Brasil, especialmente no Norte e no Nordeste, mas também em algumas do Sudeste, como Campos dos Goytacazes no Rio de Janeiro, existem agremiações chamadas bois que realizam cortejos ou outros tipos de apresentações, utilizando a figura do animal, tendo muitas vezes caráter competitivo.

A festa tem ligações com diversas tradições, africanas, indígenas e europeias, inclusive com festas religiosas católicas, sendo associada fortemente ao período de festas juninas.[3]

Embora registrado pela primeira vez em Pernambuco, é mais popular no Maranhão. O bumba meu boi maranhense recebeu do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) o título de Patrimônio Cultural do Brasil.[4] Ao espalhar-se pelo país, a manifestação adquiriu nomes, ritmos, formas de apresentação, indumentárias, personagens, instrumentos, adereços e temas diferentes. Em Pernambuco é chamado boi-calemba ou bumbá; no Maranhão, Rio Grande do Norte, Alagoas e Piauí é chamado bumba meu boi; no Ceará, é boi de reis, boi-surubim e boi-zumbi; na Bahia é boi-janeiro, boi-estrela-do-mar e mulinha-de-ouro; em Minas Gerais e no Rio de Janeiro é bumba ou folguedo-do-boi; no Espírito Santo é boi de reis; em São Paulo é boi de jacá e dança-do-boi; no Pará, Rondônia e Amazonas é boi-bumbá;[2] no Paraná e em Santa Catarina é boi-de-mourão ou boi-de-mamão;[2] e no Rio Grande do Sul é bumba, boizinho ou boi-mamão.[2]

Peça teatral da Professora Kelly – o mágico de oz

julho 28th, 2017

Sinopse do filme gravado em 1939: Dorothy e seu cachorro Totó são levados para a terra mágica de Oz quando um ciclone passa pela fazenda de seus avós no Kansas. Eles viajam em direção à Cidade Esmeralda para encontrar o Mago Oz e no caminho encontram um Espantalho, que precisa de um cérebro, um Homem de Lata sem um coração e um Leão Covarde que quer coragem. O Mago pede ao grupo que tragam a vassoura da Bruxa Malvada do Oeste a fim de ganharem sua juda.
parte 1 do vídeo

parte 2 do vídeo

fotos da apresentação